quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

De 2008 para 2009


2009 é o próximo ano do calendário gregoriano.
Vai começar e acabar numa quinta-feira.
Não sendo um ano bissexto, o ano terá 365 dias, como de costume.
O ano foi designado como:
o Ano Internacional da Astronomia,
o Ano internacional das Fibras Naturais,
o Ano Internacional da Reconciliação,
o Ano do Boi, segundo o horóscopo chinês,
o Ano Internacional da Aprendizagem sobre Direitos Humanos,
o Ano Internacional do Gorila.

E o ano da grande construção faraônica do político carioca, César Maia: A Cidade da Música Roberto Marinho. Ah! E essa foto aí de cima é velha...
Eventos esperados e previstos para Janeiro:
O banimento do uso de lâmpadas incandescentes vai começar a ser implantado na Irlanda.
1 de janeiro - A Eslováquia ficará na Presidência do Conselho da União Européia, sendo sucessora da França e adotará o Euro como moeda oficial. A Turquia processará a 9ª emissão de lira turca. O monopólio de remédios na Suíça vai acabar. Os prefeitos eleitos no Brasil tomarão posse.
20 de Janeiro- Fim do mandato de George W. Bush como presidente dos EUA e início do mandato de Barack Obama como novo presidente americano.
Está prevista a inauguração do metrô na cidade brasileira de Salvador.
Peraí, mas e o metrô da Barra da Tijuca?
Só por causa disso, não falo mais dos próximos meses do ano...
O monumento faraônico já está quase de pé e nosso metrô até agora nada....
Vai vendo... Olha que essa mega construção em forma de barco, se não for bem administrada corre o risco de virar canoa furada, no caso, a canoa pode virar mais um shopping center... para o bem de todos e felicidade geral ... do bairro e do filhotinho do Cesinha... Eduardinho.
Da coleção de playmobill para a coleção de shoppings. Decorando a sua nova casa, que agora é o bairro. Todo ele e mais um pouco pra lá, um pouco pra cá... A zona sul, a zona oeste e todas as outras zonas possíveis. Uma zona geral. E quem dá jeito?

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Dois bichos pintados, um manso e um feroz

(Baco e Ariadne - Ticiano - 1523)
O dálmata e o guepardo.
Dois bonitos animais que não se bicam.
Não se atrevem a viver no mesmo ambiente.
Sábia natureza.
Deixou para os guepardos um presente e uma caça, as zebras.
Outras obras-primas pelo acaso riscadas.
Para os dálmatas emprestou alguns donos, para os guiarem e também serem guiados, os humanos.
Os dálmatas, por serem passivos, jamais viveriam bem na selva, na savana.
Já os guepardos, carregam sua solidão, de grama em grama, mata em mata, em outro continente, selvagem e distante, como eles bem são.
Os dálmatas, coitadinhos, não sobreviveriam tão facilmente em locais áridos; precisam de quem os acolha. Sem seus donos, os humanos, não seriam ninguém.
Um dia um dálmata conseguirá olhar para um guepardo e um guepardo olhar para um dálmata com olhos de que?
Temor, fome, desprezo ou aflição?
Nada, nenhum desses sentimentos, não.
Certas vivências só o homem é digno de ter, que é o de pisar em vários solos, sejam eles tranquilos, plácidos, gélidos, sejam eles vulcânicos, ardilosos, arenosos, movediços, enfurecidos.
O reino animal sabe bem o que faz.
Preserva bem sua espécie.
O reino humano abusa do que pode fazer.
E pouco preserva o que tem de bom.
Um dálmata pode ser: pessoa natural ou habitante da Dalmácia (Croácia); uma língua já extinta do grupo românico ou do que falei acima; uma raça de cães.
Um guepardo só pode ser: chita, leopardo-caçador ou onça-africana. Seu habitat é a savana. Vive na África e no sudoeste da Ásia. As almofadas de suas patas têm ranhuras e sua longa cauda serve para lhe dar estabilidade nas curvas em alta velocidade. Cada guepardo ou chita pode ser identificado pelo padrão exclusivo de anéis existentes em sua cauda.
É um animal predador, preferindo caçar as suas presas através de perseguições em alta velocidade. Pode agir utilizando táticas como a caça por emboscada ou em grupo, e às vezes pode caçar em dupla. Consegue atingir velocidades de 115 a 120 km/h, por curtos períodos de corrida, sendo o mais rápido de todos os animais terrestres.
Porém em uma certa ocasião, avistou-se um guepardo que correu atrás de sua presa por 640 metros em 20 segundos, (medidos com um cronômetro), e 73 metros em aproximadamente 2 segundos.
Mas nem por isso se torna mais autêntico que os outros animais.
Só o ser humano é que é um tanto assim, digamos diferente.
E é isso que dificulta uma perfeita definição do que realmente ele é.
E afinal, o que somos?

domingo, 28 de dezembro de 2008

Viva Friedrich Nietzsche


Frases deste profundo filósofo e poeta.
Das profundezas de onde quer que ele esteja, as mais verdadeiras das verdades:
"Toda virtude tem seus privilégios: por exemplo, o de levar seu próprio feixezinho de lenha para a fogueira do condenado."
"A profissão é a espinha dorsal da vida."
"Nunca odiamos aos que desprezamos. Odiamos aos que nos parecem iguais ou superiores a nós."
"Somos muito injustos com Deus. Não Lhe permitimos nem pecar."
"A mulher foi o segundo erro de Deus. "
"Já dei tudo. Nada me resta de tudo quanto tive, exceto tu, esperança!"
"Nenhum vencedor acredita no acaso."
"A maneira mais pérfida de prejudicar uma causa é defendê-la intencionalmente com más razões."
"Quem possui até o presente a eloquência mais convincente?O rufar do tambor, enquanto os reis o tiverem sob o poder serão os melhores agitadores populares."
"As explicações místicas são consideradas profundas. Na verdade falta-lhes ainda muito para que sejam superficiais."
"O amor perdoa mesmo o desejo do ser amado."
"Hoje é pobre, mas não porque lhe tenham tirado tudo, sim pela recusa de tudo. Que lhe importa?! Está habituado a encontrar. Os pobres compreendem mal sua voluntária pobreza."
"Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar."
"Os leitores extraem dos livros, consoante o seu caráter, a exemplo da abelha ou da aranha que, do suco das flores retiram, uma o mel, a outra o veneno."
"O homem que vê mal vê sempre menos do que aquilo que há para ver; o homem que ouve mal ouve sempre algo mais do que aquilo que há para ouvir."
"Aforismo e sentença são formas eternas. Orgulho-me de dizer em dez palavras o que outros dizem em vários volumes."
"Não existe, na realidade, entre a religião e a ciência nem parentesco, nem amizade, nem inimizade: elas vivem em esferas diferentes."
"Eu também quero a volta à natureza. Mas essa volta não significa ir para trás, e sim para a frente."
"Saber é compreendermos as coisas que mais nos convém."
"Encontra-se sempre, aqui e ali, algum semi-deus que consegue viver em condições terríveis, e viver vencedor! Quereis ouvir os seus cantos solitários? Escutai a música de Beethoven."
"Perdido seja para nós aquele dia em que não se dançou nem uma vez! E falsa seja para nós toda a verdade que não tenha sido acompanhada por uma gargalhada!"
"O homem é uma corda esticada entre o animal e o super-homem, uma corda por cima do abismo."
"Deus está morto: mas, considerando o estado em que se encontra a espécie humana, talvez ainda por um milénio existirão grutas em que se mostrará a sua sombra."
"Culpamos as pessoas das quais não gostamos pelas gentilezas que nos demonstram."
"O que é o macaco para o homem? Uma risada ou uma dolorosa vergonha."
"Onde amor e ódio não concorrem ao jogo, o jogo da mulher torna-se medíocre."
"As próprias mulheres, no fundo de toda a sua vaidade pessoal, têm sempre um desprezo impessoal - pela mulher."
"Aquilo que se faz por amor, parece ir sempre além dos limites do bem e do mal."
"Aquele que vive de combater um inimigo tem interesse em o deixar com vida."
"As convicções são inimigos da verdade bem mais perigosos que as mentiras."
"Fazer grandes coisas é difícil; mas comandar grandes coisas é ainda mais difícil."
"Muitos são os obstinados que se empenham no caminho que escolheram, poucos os que se empenham no objetivo."
"Não é a força mas a constância dos bons resultados que conduz os homens à felicidade."
"Não há fatos, apenas interpretações."
"Uma pessoa continua a trabalhar porque o trabalho é uma forma de diversão. Mas temos de ter cuidado para não deixarmos a diversão tornar-se demasiado penosa."
"É difícil viver com as pessoas porque calar é muito difícil."
"Elogiamos ou criticamos de acordo com a maior oportunidade que o elogio ou a crítica oferecem para fazer brilhar a nossa capacidade de julgamento."
"O que o pai calou aparece na boca do filho, e muitas vezes descobri que o filho era o segredo revelado do pai."
"Se não se tem um bom pai, é preciso arranjar um."
"Na minha vida ainda preciso de discípulos, e se os meus livros não serviram de anzol, falharam a sua intenção. O melhor e essencial só se pode comunicar de homem para homem."
"Quem só tem o espírito da história não compreendeu a lição da vida e tem sempre de retomá-la. É em ti mesmo que se coloca o enigma da existência: ninguém o pode resolver senão tu!"
"A vida mais doce é não pensar em nada."
"Toda a arte e toda a filosofia podem ser consideradas como remédios da vida, ajudantes do seu crescimento ou bálsamo dos combates: postulam sempre sofrimento e sofredores."
"O homem precisa daquilo que em si há de pior se pretende alcançar o que nele existe de melhor."
"Vêde os crentes de todas as crenças: a quem eles odeiam mais? Àquele que quebra suas tábuas de valores, o quebrador, o infrator - mas este, é o Criador!"
"Até Deus tem um inferno: é o seu amor pelos homens."

Leia ouvindo essa e outras músicas da banda Smashing Pumpkins:
Disarm
http://www.goear.com/listen.php?v=6d3e639
Try, Try, Try:
1979:
Mellon Collie And The Infinite Sadness:
Zeitgeist:

sábado, 27 de dezembro de 2008

Coisa de grego a origem da palavra "anfitrião"


Na mitologia grega, Anfitrião era marido de Alcmena, mãe de Hércules. Enquanto Anfitrião estava na guerra de Tebas, Zeus tomou a sua forma para deitar-se com Alcmena e Hermes tomou a forma de seu escravo, Sósia, para montar guarda no portão. Uma grande confusão foi criada, pois Anfitrião duvidou da fidelidade da esposa. No fim, tudo foi esclarecido por Zeus, e Anfitrião ficou contente por ser marido de uma escolhida do deus. Daquela noite de amor nasceu o semideus Hércules. A partir daí, o termo anfitrião passou a ter o sentido de "aquele que recebe em casa". O mesmo ocorreu com sósia — "cópia humana".


E depois, os franceses é que levam a fama de povo que gosta de ver e fazer "o circo pegar fogo" de um jeito manso e feliz ...

E dos brasileiros, quem agora vai ter coragem de dizer que é bom anfitrião?

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

FELIZ NATAL COM MUITOS GATINHOS E GATINHAS


UMA HOMENAGEM À MINHA GATINHA MIA QUE ESTÁ DE NOVO NO CIO...
HAJA OUVIDO PRA TANTO MIO!


domingo, 21 de dezembro de 2008

Tão bom quanto Hermes e Renato

Bizarrices da TV aberta.
Espetáculo do grotesco.
Ah, se fosse exibido na MTV...
Seria muito bom isso!
Não pararia de rir!
Uma ótima sacação!
Tirando o sarro e tirando o preconceito... é piada, gente!
Só pode ser...
E em se tratando de piada, vale tudo!
Se foi mesmo montagem, garoto; é sério, você merece uma chance!
Eu te aprovo!
Aprovem também essa brilhante sacanagem!
Agora, se não foi montagem ...
Mas se não for ... garoto, você é péssimo, um garoto mesmo, um moleque, um profissional que não merece respeito, porque há uma enorme diferença entre brincar em serviço e brincar em casa.
Eu ainda acho que é montagem, mas tem gente que viu e me disse que não, que é reality show mesmo, e dos mais podres, vindo direto dos bastidores, escondidinho.
E quem vai saber?

http://www.youtube.com/watch?v=NKQPiEze9wU&feature=related

sábado, 20 de dezembro de 2008

É Flórida !


É flórida ficar sábado vendo o Altas Horas.
Mas há de se afirmar: é muito flórida o programa.
Mais flórida ainda é admitir que só assisto a Globo.
É flórida esse canal, essa emissora, essa rede.
Fazer o que, se é flórida ?!!
É flórida o ano estar terminando.
É flórida começar tudo outra vez.
É flórida ter que virar a página.
É flórida o Natal já estar pipocando por aí.
É flórida andar em shopping center nesta época do ano.
É flórida o trânsito que tudo isso traz.
É flórida lembrar que logo vem o Reveillon.
É flórida tomar champagne no gargalo.
É flórida ter uma família dividida.
É flórida ver outras famílias divididas.
É flórida brigar com o namorado.
E é bem mais flórida fazer as pazes com ele.
É flórida passar as madrugadas sentindo insônia.
É flórida ter vários desejos e não poder realizá-los de uma só vez.
É flórida transformar uma palavra florida numa expressão de tão duplo sentido.
É flórida estar na Flórida, em Florença ou em Florianópolis.
E é flórida disfarçar esse, aquele ou qualquer outro palavrão.
É flórida!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

A TV responsável

"Tu te tornas responsável por aquilo que cativas".
Será que a menina leu o "Pequeno Príncipe"?

Mexer com a cabeça de uma menina de doze anos é uma tremenda responsabilidade e a Rede Globo de Televisão fez isso hoje de madrugada no Programa do Jô.
A pequena Tayná Alves dos Santos esteve sentadinha na poltrona do Jô por alguns minutos e de desembaraçada na escola se tornou embaraçada na TV.
A menininha chegou assustada, não sabia por onde começar e o Jô foi conduzindo tudo, tentando deixá-la mais calminha, se sentindo em casa, elogiando-a ; sim, ele fez tudo conforme manda o figurino, sempre brilhantemente.
Só que não convenceu. A menina, agraciada por um projeto educativo das escolas de São Paulo, chamado Projeto Centopéia, foi dar a entrevista para falar de seus mais de duzentos livros lidos.
Tá bem, tá legal. Mas o "portuguesinho" dela é péssimo. E se ela assimilou bem tudo o que leu; não sei.
Até aí não é mérito nenhum ler nem quinhentos livros.
O lema do Projeto Centopéia é : Ler para descobrir, experimentar e criar.
É bonito e aqui vai uma prévia: http://www.udemo.org.br/RevistaPP_03_04Centopeia.htm
A menininha encerrou a entrevista ao Jô respondendo a seguinte pergunta:
O que você vai querer ser quando crescer?
Ela disse que vai querer escrever um livro sobre a vida dela, que vai querer fazer faculdade e ser jornalista.
Bem, a própria televisão se responsabilizou junto com ela e a família de daqui a dez anos pesquisar e procurar saber como estará a vida da menina Tayná.
Será que ela vai conseguir se tornar uma jornalista?
E boa ou má?
Depende da leitura. Do tipo que for. Para bom entendedor, o que ela vai ler vai fazer dela uma futura boa ou má profissional. Não adianta uma centena ou uma dezena de livros. Tem que ser coisa boa, de qualidade. Sem dúvida.
Às vezes, um livro basta para transformar a sua vida e, mais de trezentos não farão de você um alguém ou um nada.
Nem um nadinha de nada.
Resta esperar para ver.
Mas isso fica pra daqui até mais ou menos uns dez anos.
Haja tempo!
Ufa! Até lá, mil coisas já terão se transformado.
Oh, as vicissitudes do pensamento!
Bem, mas antes dessa entrevista, uma outra entrevista aconteceu, e não foi menos constrangedora.
Filomena Cautela, o nome dela. Atriz e apresentadora portuguesa vinda de Lisboa e com vergonha de aparecer na TV. Como pode isso? Ah, podendo...
A TV pode tudo. De brincar com a nossa cara e com a cara dos outros a falar sério.
E falando sério, Filomena Cautela, haja cautela e me poupe... Aonde já se viu, fazer TV e ter vergonha do que faz?
É brincar demais com a sua própria cara, não?
Porque com a nossa é que não é , jacaré.
Ir no Jô pra fazer ping pong... Por favor, né?
E a cautela, cadê ela?
Ih... Ficou esquecida em Portugal.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Seja criativo e dê a você um presente também

Quinta-feira. Liguei a TV depois das nove e continuei nela madrugada adentro.
A Favorita, A Grande Família, Casos e Acasos, Jornal da Globo, enfim, Jô Soares.
Minha quinta-feira antes da sala, do sofá e da TV foi de andança frenética pelo Centro do Rio.
Já é Natal e tudo está lembrando isto.
Perdi um emprego e acabei de saber que outros amigos também.
Que fim-de-ano mais morno.
É mais que preciso ser criativo, usar a cabeça para fazer nosso dinheiro correr de novo no bolso.
Escrever é um caminho.
Outros amigos já estão encaminhados e um em especial escreve para a Rede Globo.
Outros escrevem livros.
Outros assistem filmes e têm idéias.
Esta menina mulher assistiu "Hitch, O Conselheiro Amoroso" e resolveu em dezembro mesmo a grande virada de sua vida.
Mandou seu recado para uma revista feminina se dizendo conselheira amorosa e pasmem, deu certo!
Hoje ela trabalha com isso.
Cobra cento e cinquenta reais por cada consulta e como não é terapeuta, atende em locais públicos: restaurantes, bares e afins.
Ótima idéia!
Não paga aluguel de consultório nem nada.
Lançou livro, foi no Jô e já tem namorado, coisa que antes vivia buscando.
Esperta a mulher menina.
Ah!
Se é!
Seu nome é Rennata Alarcon.
Adorei ela.
E o Jô também.
Pessoas assim nos fazem pensar:
Vale a pena ousar.
Veja aqui algumas das dicas audaciosas:


quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Leda e o Cisne


Pinturas antigas.
Que Leda era esta...
Muitos dos grandes artistas "teceram" tal obra.
Leda e o Cisne.
Ao olhar, penso:
Uma mulher e um cisne...
Que viagem dos deuses...
E quem era esta que veio de Esparta?
Mãe de Helena de Tróia, mãe de Castor e de Pólux, mãe de Clitemnestra
Protegida por Zeus
Amante de Zeus
Esposa de Tíndaro
Rainha de Esparta
Leda era ela.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Os benditos pneus


Por que pneu e não "peneu" ou pineu"?
Ora, porque a palavra vem de pneumático.
Ou seja, seu significado está relacionado com o comportamento fisico do ar submetido à variação de pressão.
Hum...
Um pneumático, mais conhecido simplesmente por pneu, é um artefato circular feito de borracha.
Foi criado por Charles Goodyear, dos pneus Goodyear, oh yeah!
Pode ser inflado com ar ou com água. Pode ainda ser maciço.
É utilizado por veículos em geral, como carros de passeio, caminhões, tratores, bicicletas, carrinhos de mão etc.
Geralmente é de cor negra devido ao fato de, durante a fabricação, ser adicionado negro de fumo à composição da borracha. Sem esse elemento, os pneus se desgastariam muito rapidamente.
E nós, mulheres?
Nos desgastamos muito rapidamente com o quê?
Quando os nossos benditos pneuzinhos começam a sem querer, nos aparecer?
Ou quando mais o quê?

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Caixa de HAI KAI

Gata
Cadela
Elas são assim
Eu soo assim
(Ana Pe)
luz amarela no quarto dela ali se espera que um sonho entre pela janela
(Alonso Alvarez)
haicai sem kigô é de quem bebe saquê e pisa na fulô
(Carlos Seabra)
esnobar é exigir café fervendo e deixar esfriar
(Millôr Fernandes)
o focinho no ar olhando os troncos um gato namora os pombos
(Rogério Martins)
A gaveta da alegria já está cheia de ficar vazia
(Alice Ruiz)
sem um novo dia nem o cotidiano existiria
(Jandira Mingarelli)
sair do protocolo contornar a mesmice bancar o vôo solo
(Gabriela Marcondes)
haja mio da gata errando em seu eterno cio
(João César dos Santos)

domingo, 14 de dezembro de 2008

Sobre contos e crônicas


A palavra crônica deriva do latim chronica que significava, no início da era cristã, o relato de acontecimentos em ordem cronológica.
Era, portanto, um breve registro de eventos.
No século XIX, com o desenvolvimento da imprensa, a crônica passou a fazer parte dos jornais. Ela apareceu pela primeira vez em 1799, no Journal de Débats, publicado em Paris. Esses textos comentavam, de forma crítica, acontecimentos que haviam ocorrido durante a semana. Tinham, portanto, um sentido histórico e serviam, assim como outros textos do jornal, para informar o leitor. Nesse período, as crônicas eram publicadas no rodapé dos jornais, os "folhetins". Essa prática foi trazida para o Brasil na segunda metade do século XIX e era muito parecida com os textos publicados nos jornais franceses. Com o passar do tempo, a crônica brasileira foi, gradualmente, distanciando-se daquela crônica com sentido documentário originada na França. Ela passou a ter um caráter mais literário, fazendo uso de linguagem mais leve e envolvendo poesia, lirismo e fantasia.
Já o conto é ... também ... uma narrativa curta.
É o relato de uma situação que pode acontecer na vida das personagens. O tempo em que se passa é reduzido e contém poucas personagens que existem em função de um núcleo. Pode ter um caráter real ou fantástico da mesma forma que o tempo pode ser cronológico ou psicológico.
Lendo assim, parece um pouco fácil distinguir conto de crônica.
Mas não é.
Ambos se misturam.
O que me leva a entender que uma das diferenças "sombreadas" entre uma crônica e um conto, é que ela é temporal e ele é atemporal.
Ainda penso que em ambos, a história não tem de ser obrigatoriamente verdadeira, mas parecer que o é.
Ah, se eu me preparasse para responder isso antes!
Fica aqui uma historinha:

Conta-se que uma vez Matisse mostrou a uma senhora um quadro em que havia pintado uma mulher nua; sua visitante retrucou: “Mas uma mulher nua não é assim”. E Matisse: “Não é uma mulher, minha senhora, é uma pintura”.
E daí se escreve um conto.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Hoje me teletransporto


Não vou nem fazer a mala.
Vou eu com meu quarto.
Nessas idas e vindas a gente vai.
Já fui para Motab.
Já estive em Azeleb.
Até em Sirap.
Depois volta.
Sempre ao lugar de origem.
Já somei, dividi, subtraí.
Agora multiplicar é o meu desejo.
E multiplicando me teletransporto para um pedaço que vai me levar a outro pedaço.
Um dos grandes segredos é esse.
E não tem nenhum mistério nisso.
Porque tudo é tudo.
E nada é nada.
E a verdade é uma mentira inventada.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Roberto Rei


Rei, rei, rei, rei...
Acho que vou te ver hoje
Rei, rei, rei...
Roberto Carlos é rei
Tem convitinho pra mim
Rei, rei, rei...
De novo na Arena
De frente ao Bora
Bora Bora
Ouié..............................

Ih!
Acabo de saber que não tem mais não!
Ah, mas quer saber?
Não ligo não.
Ligo pras minhas amigas e saio nesta quinta pra fazer outro programão.
Dar risada é que é bom!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Frases de Esperanza


Hablas español?
¿Qué importa?

La esperanza es el sueño del hombre despierto. Aristóteles (384 AC-322 AC) Filósofo griego.
La esperanza es el peor de los males, pues prolonga el tormento del hombre. Friedrich Nietzsche (1844-1900) Filosofo alemán.
La desesperanza está fundada en lo que sabemos, que es nada, y la esperanza sobre lo que ignoramos, que es todo. Maurice Maeterlinck (1862-1949) Escritor belga.
La esperanza hace que agite el naufrago sus brazos en medio de las aguas, aún cuando no vea tierra por ningún lado. Ovidio (43 AC-17) Poeta latino.
Donde una puerta se cierra, otra se abre. Miguel de Cervantes Saavedra (1547-1616) Escritor español.
La esperanza es un estimulante vital muy superior a la suerte. Friedrich Nietzsche (1844-1900) Filosofo alemán.
¿Cual es el sueño de los que están despiertos?. La esperanza. Carlomagno
Sin esperanza se encuentra lo inesperado. Heráclito de Efeso (540 AC-470 AC) Filósofo griego.
El infierno es esperar sin esperanza. André Giroux Escritor francés.
La esperanza, no obstante sus engaños, nos sirve al menos para llevarnos al fin de la existencia por un camino agradable. François de la Rochefoucauld (1613-1680) Escritor francés.
La esperanza es un gran falsificador. Baltasar Gracián (1601-1658) Escritor español.
Sem a esperança, o mundo, o que seria?
¿Qué importa?
E quem se importa?!!

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Irmãos COEN


Joel e Ethan Coen.
O primeiro filme que vi deles foi FARGO.
Bastou assistir para eu gostar deles.
O segundo foi E AÍ MEU IRMÃO, CADÊ VOCÊ?
Confesso que tenho que ver de novo; não estava com cabeça para um filme tão cabeça...
Será que era cabeça mesmo?
ONDE OS FRACOS NÃO TÊM VEZ, esse não estou mesmo com cabeça para comentar.
Mas... QUEIME DEPOIS DE LER ...
Esse sim, é um filme muito bem bolado, muito bem editado e de um humor negro dos mais cômicos.
Os irmãos Coen sempre nos surpreendendo em seus roteiros e direção!
Não falo nem do elenco, que é de primeira, pois mesmo sem os grandes atores e atrizes deste filme, os Coen continuariam com o mesmo êxito!
Resumindo, um filme inteligente, hilário, cruel, aterrorizante, esperançoso e surpreendente, como todo ser humano!
De resto...
Tô sem cabeça.
Sem cabeça, sem cabeça, sem cabeça.
Ela está meio virada do avesso.
E só.
Mas passa.
Como tudo passa.
Passa rápido.
Tão raso como o meu comentário.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Uma "cara boa" e um sorriso bonito?



E se o espelho não refletir?
Será que é um espelho?
Ou uma espiral?
Não será vertigem?
Não será uma ilusão?
Ou uma desilusão?
Ah, sei lá... pode ser?!!! Ou não !!!!
Melhor não !!!!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Para lembrar Clarice


Tem muitos pensamentos no pensamento dela:


CITAÇÕES
“Aliás - descubro eu agora - eu também não faço a menor falta, e até o que escrevo um outro escreveria.”A hora da estrela
“Onde aprender a odiar para não morrer de amor?”Laços de família
“Não é que vivo em eterna mutação, com novas adaptações a meu renovado viver e nunca chego ao fim de cada um dos modos de existir. Vivo de esboços não acabados e vacilantes. Mas equilibro-me como posso, entre mim e eu, entre mim e os homens, entre mim e o Deus.”Um sopro de vida
“É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo.”Perto do coração selvagem
“Talvez a pergunta vazia fosse apenas para que um dia alguém não viesse a dizer que ela nem ao menos havia perguntado. Por falta de quem lhe respondesse ela mesma parecia se ter respondido: é assim porque é assim.”A hora da estrela
“E de tal modo haviam se disposto as coisas que o amor doloroso lhe pareceu felicidade.”Laços de família
“Quem não é um acaso na vida?”A hora da estrela
“Isto não é um lamento. É um grito de ave de rapina, irisada e intranqüila.”Um sopro de vida
“Com Deus a gente também pode abrir caminho pela violência. Ele mesmo quando precisa mais especialmente de um de nós, Ele nos escolhe e nos violenta.”A paixão segundo G.H.
“Só quem guarda as armas e a chave é quem receia atirar sobre todos.”Perto do coração selvagem
“Nem todos chegam a fracassar porque é tão trabalhoso, é preciso antes subir penosamente até enfim atingir a altura de poder cair.”A paixão segundo G.H.
“Sua sensibilidade incomodava sem ser dolorosa, como uma unha quebradiça.”Laços de família
“Abandone-se, tente tudo suavemente, não se esforce por conseguir - esqueça completamente o que aconteceu e tudo voltará com naturalidade.”Laços de família
“O cacto é cheio de raiva com os dedos todos retorcidos e é impossível acarinhá-lo. Ele te odeia em cada espinho espetado porque dói-lhe no corpo esse mesmo espinho cuja primeira espetada foi na sua própria grossa carne. Mas pode-se cortá-lo em pedaços e chupar-lhe a áspera seiva: leite de mãe severa.”Um sopro de vida
“Quem sabe a que escuridão de amor pode chegar o carinho.”Laços de família
“Não se pode dar uma prova de existência do que é mais verdadeiro, o jeito é acreditar. Acreditar chorando.”A hora da estrela
“Oh Deus, eu que faço concorrência a mim mesma. Me detesto. Felizmente os outros gostam de mim. É uma tranqüilidade.”Um sopro de vida
“Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas continuarei a escrever.”A hora da estrela
“A eternidade é o estado das coisas neste momento.”A hora da estrela
“Escrevo por ter nada a fazer no mundo: sobrei e não há lugar para mim na terra dos homens.”A hora da estrela
“Eu nunca fui livre na minha vida inteira. Por que dentro eu sempre me persegui. Eu me tornei intolerável para mim mesma.”Um sopro de vida
“Ser um ser permissível a si mesmo é a glória de existir.”Um sopro de vida
“Perder-se significa ir achando e nem saber o que fazer do que se for achando.”A paixão segundo G.H.
“Tudo o que poderia existir, já existe. Nada mais pode ser criado senão revelado.”Perto do coração selvagem
“Vida e morte foram minhas, e eu fui monstruosa, minha coragem foi a de um sonâmbulo que simplesmente vai.”A paixão segundo G.H.

E muito mais dela aqui: http://blog.antesdeparis.com.br/category/frases-da-clarice-lispector/
Infinita Clarice.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

E o desejo de ver filmes antigos, de onde vem?


Ando esses dias com vontades esnobes.
Não sei bem se esnobismo seria a palavra correta.
Talvez não.
Acho que como a idade pesa, o anseio por obras primas que marcaram a história vão se cristalizando.
E conforme alguns fios brancos vão nascendo e a gente vai, lógico, disfarçando, arrancando, pintando, acontece de os velhos filmes lendários das décadas de cinquenta e sessenta irem se tornando mais importantes para a galera conhecida carinhosamente como balzaquiana.
Com vinte e poucos anos eu tive muitas aulas sobre a História do Cinema na faculdade de jornalismo e confesso, não dei a menor importância para obras de arte na telona como:
O encouraçado Potemkin (de Sergei Eisenstein, 1925 !!!!) , Cidadão Kane, Casablanca, todos os do Chaplin, todos de Alfred Hitchcock, entre tantos mais.
Pois bem, agora eu os quero.
Vou começar minha pequena grande coleção.
Sem piratear, claro, afinal, qual a graça de um filme antigo e até preto e branco, pirata?
Filmes piratas só aqueles que não têm pedigree.
Agora fiquei mesmo muito esnobe.
Mas não dá pra imaginar; bem , pelo menos eu não posso, não consigo achar valor num Fellini pirateado, num Billy Wilder pirateado, num romance de Truman Capote pirateado, como o lindo: Bonequinha de luxo.
Imagine os filmes como : A Doce Vida, (Federico Fellini, 1960), pirateados?
Minha outra mais nova compra via Internet tem que vir com selo de qualidade...
Anita Ekberg e Marcello Mastroianni destruídos por copiadores fajutos?
Tô ficando mesmo muito metida.
Mas não rola mais.
E a Audrey Hepburn, imagine ela, na mão imunda dos piratas, com sua Sabrina e A Princesa e o Plebeu?
Não pode, não deve.
Por esses poucos citados e pelos tantos mais não citados, eu pago sim, os reais que forem.
Claro que na média entre os trinta e os oitenta.
Pagar em peso, não pago, sou esnobe.... mas em dólar ou euro, pago sim, com prazer, estando lá.
Melhor em euro, pois o desejo de estar por aquelas bandas do Mediterrâneo tem batido mais forte.
Filmes antigos, lugares antigos, pessoas antigas, esculturas, estátuas, idades, localidades...
É um desejo.
Bem mais forte!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Salvador de lá, Salvador dali, Salvador de cá


E quem é o nosso salvador?
Daqui do Rio de Janeiro é o Cristo Redentor, que nos olha, nos aprova, nos desaprova.
Vê tudo, não fala nada.
Também não faz nada. Não pode fazer. Está lá em cima, no alto, imóvel.
Só pode contemplar a Baía da Guanabara. Linda. Já virou sua namorada.
O Cristo e a Baía.
Ponto de vista e de fotografia para outros casais.
Belos ou não belos.
Outras salvações e outros salvadores:
Para dias de sábado e domingo ensolarados:
Andar pelo Aterro do Flamengo, com a enseada de Botafogo ao fundo, mirar no Pão de Açúcar e suspirar com o nosso Cristo Redentor, observar e fotografar a Pirâmide esculpida em homenagem a Estácio de Sá, que é sim, um marco da fundação da nossa cidade. Partida.
Para dias e noites de ansiedade:
Chocolate... hum.. nhan... nhan...
Para falta de assunto:
Cinema, teatro, livro, música, televisão... menos fofoca e baixaria, isso não.
Para carência:
Abraço. Com amor, com zelo, com beijo, sem beijo, com aperto, sem aperto, com mordida... mordida não!
Para falta de emprego:
Contatos, currículos, outros cursos, outras palestras, outros círculos, outras rodas, outras cidades, outras faculdades, mas Estácio, a Estácio, definitivamente, não!
Não salva ninguém de pátria nenhuma.

sábado, 29 de novembro de 2008

Esse cara era bárbaro! Dei de falar dele...




Salvador Domingo Felipe Jacinto Dalí i Domènech

"Aqueles que não querem imitar nada, não produzem nada."


"Os erros são quase sempre de uma natureza sagrada. Nunca tente os corrigir. Pelo contrário: racionalize-os, compreenda-os a fundo. Depois disso, lhe será possível sublimá-los."


"Acredito que o momento está perto quando num processo de pensamento paranóico, eu conseguirei sistematizar a confusão e contribuir para a total descrença do mundo real."


"Um dia terá que ser admitido oficialmente que o que batizamos de realidade é uma ilusão até maior do que o mundo dos sonhos."


"Você tem que criar a confusão sistematicamente, isso liberta a criatividade. Tudo o que é contraditório cria vida."


"Eu vou ser tão breve que na verdade já terminei."

Salvador Dali

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

E por falar em nomes

Cada coisa tem seu nome.
Cada pessoa.
Cada ser.
Quero falar de nomes de gente.
De nomes próprios.
Os nomes de batismo, não os de herança.
Nomes, sem sobrenomes.
Analiso muito todo mundo pelos nomes.
E hoje, vou dispor aqui de alguns, de quem eu conheci, conheço, e que, ainda tenho muito que conhecer.
O incrível é que o significado de cada nome, tem um peso, um fardo.
Veja o meu por exemplo, já que é pra começar, eu me habilito.
Ana.
Ana significa a cheia de graça e predispõe a criança a se tornar muito segura, graças à sua boa organização mental. Sua intuição lhe garante boas escolhas nos estudos, na profissão e no amor.
Analisemos.
Sorrindo e só rindo.
Eu, cheia de graça? Isso até concordo, mas daí a meu nome me garantir ou ter me garantido boas escolhas, bem, isso já é outro passo, e um passo longo, digamos, corajoso de quem escreveu ou até inventou.
Boa organização mental, eu?
Acho que tenho uma mente tão zonza, tão cheia de altos e baixos, de aspirações e inspirações loucas, com desejos e ambições centradas, firmes, mas tão impossíveis, que se tornam até possíveis, na medida do possível; eu sei, eu chego lá. Só que demora...
Bem, pensei em nomes próprios agora de homens. Felipe, Victor, Alexandre, Maurício, Hélio, Tiago, Vinícius, Gustavo, Alessandro, Ricardo, Rafael...
Será que esse monte de nome e gente tem a ver com o significado que os inventaram?
É só comparar com seus donos.
Felipe: Significa o que gosta de cavalos e indica uma pessoa que demonstra grande afinidade com a natureza, com os esportes em geral e também com a vida militar. Tem uma incrível capacidade de se adaptar a novas situações e vencer desafios.
Vítor ou Victor: Significa vencedor. Indica uma pessoa competente mas que apresenta certa reserva em expor seus pontos de vista, tendência que deve combater se quiser atingir o sucesso pleno.
Alexandre: Significa defensor da humanidade e indica um espírito justiceiro, que não pode ver outra pessoa passando dificuldades sem procurar ajudar. Tem sucesso quando trabalha em atividades comunitárias.
Maurício, Maurílio, Mauro: Significa o que veio da Mauritânia e também escuro, moreno. Indica uma pessoa constante na luta pelos seus objetivos e na dedicação aos amigos e à mulher que escolhe para ser sua companheira.
Hélio: Significa Sol e indica uma pessoa cheia de iniciativa, que tem muito senso de responsabilidade e desenvolve uma profunda ligação com a família. Destaca-se em atividades ligadas às artes e à filosofia.
Tiago: Variação de Jacó. Jacó: Significa o que supera. Sua generosidade faz com que seja uma daquelas pessoas com quem sempre se pode contar. Gosta de ser útil e tem sempre uma solução para todos os problemas.
Vinicius, Vinícios, Vinício: Significa vinicultor (aquele que cultiva uva) e indica uma pessoa ousada e criativa, que se destaca em qualquer grupo que freqüente. Todos admiram sua originalidade e isso lhe permite fazer muitos amigos e também diversas conquistas amorosas.
Gustavo: Significa bastão de combate ou cetro do rei e indica uma pessoa impetuosa e tão segura de si que às vezes pode parecer arrogante. Tem chances de alcançar muito sucesso na carreira política ou militar.
Alessandro, Alejandro, Alexandre: Significa defensor da humanidade e indica uma pessoa de caráter conciliador. Quem tem esse nome sempre procura resolver os problemas dos outros e conquista a todos com sua enorme generosidade.
Ricardo: Significa senhor poderoso e indica um homem prático e decidido, o qual todos procuram quando precisam de orientação. Equilibrado e seguro não se intimida quando precisa lidar com pessoas cuja opinião diverge da sua.
Rafael: Nome de um anjo. Significa Deus cura e indica uma pessoa paciente e perseverante, que procura beneficiar os que precisam de ajuda. Mas, ao mesmo tempo, usa de todos os meios ao seu alcance para obter sucesso e prestígio.

Nossa, depois de tantos nomes, alguém ainda consegue raciocinar sobre eles e escolher se o bebê deve ou não se chamar assim ou assado?
Na dúvida, é melhor ainda não tê-los.
Esses seres lindinhos e fofinhos.
Deixemos eles antes, sem nomes, só com seus sobrenomes.
Será que vão combinar?

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Allan Stewart Königsberg , quem diria...

Woody Allen.
E seus filmes... todos bons.
Brilhantes ou normais, são todos aprovados.
Novaiorquino de primeiro de dezembro, tornou-se conhecido no mundo todo por este pseudônimo: Woody Allen.
Allan Stewart também lhe cairia bem; isso se fosse um galã ou ... um cantor de rock, talvez.
Mas aí ele seria parente do Rod. Não vale.
Ele é simplesmente ele, não pode ser parente de ninguém. O cara é único. Sem a menor chance de comparações.
Uma frase boa dele e que realmente acontece, ele sabe e também aconteceu com ele, é esta:
" Oitenta por cento do sucesso vem da sua própria exposição".
Não, não, a frase dele é igual, só que com outras palavras, hahaha, sou louca mesmo. E aqui vai de novo, só pra você ficar ciente e fixar; fixe bem:
"Oitenta porcento do sucesso vem de nos expormos." [ Woody Allen ]

Aproveite, veja o link e pesque outras.
Sugiro passear por outras boas frases como as de Coco Chanel e Fedor Dostoievski .
Tudo o que eles, Coco e Fedor, não eram, nem foram, nem nunca serão, é fedidos.
Outros sufixos ..."didos", quem sabe?
Quem vai saber?
Eles já se foram, não estão mais aqui pra te dizer.
Mas ler e saber sobre eles sempre é bom.
O que está esperando?
Vá lá e leia!

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Cada maluco com a sua loucura


Ri demais, mas depois refleti, que coragem a dos japas!
E cá está a notícia, pois esta eu amei:

Sutiã para homens vira sucesso no Japão

Loja on-line já vendeu trezentas unidades em duas semanas. Clientes esperavam pelo produto há muitos anos, diz empresa.
Quem disse que sutiãs são apenas para mulheres? No Japão, um dos produtos mais vendidos em uma loja on-line de lingeries é o sutiã para homens.
A Wishroom foi inaugurada há duas semanas no "shopping virtual" Rakuten, e já vendeu mais de 300 sutiãs masculinos, ao preço de US$ 30 cada (2.800 yens).
A loja também vende calcinhas para homens, além das lingeries tradicionais para mulheres.
"Eu gosto dessa sensação", diz Masayuki Tsuchiya, representante da loja, enquanto exibe o sutiã masculino, que pode ser vestido discretamente sob a roupa.
Akiko Okunomiya, diretora-executiva da Wishroom, diz que está surpresa com a intensa procura pelo sutiã masculino.
"Cada vez mais homens estão se interessando pelo sutiã. Desde que lançamos o produto, recebemos mensagens dos clientes dizendo que esperavam por isso há muito tempo", diz ela.
O sutiã está disponível nas cores preta, rosa e branco, mas não é de fácil aceitação para todos os homens. A lingerie provocou fortes discussões na rede social Mixi, a principal do Japão. Cerca de oito mil usuários discutiam os méritos de os homens usarem uma peça íntima que "pertence" a mulheres.


Gente, isso é muito bom !!!!!!!
Se as mulheres podem usar calça comprida, bermuda, boina, boné, suspensórios, sapatos, meias e outros acessórios masculinos, qual o problema dos mocinhos usarem sutiã e calcinha? Agora só falta o salto alto... Os baixinhos iam adorar! Por que não eles? Só não pode é mulher de bigode e homem de batom colorido. Aí já é demais! O resto tá valendo. Aos poucos ficaremos todos iguais. E veremos no que vai dar.
Olha a cabeleira do Zezé, será que ele é, será que ele é?
Maria sapatão, sapatão, sapatão, de dia é Maria, de noite é João.
A próxima vai ser: Tudo junto e misturado. Todo mundo sem saber quem é quem.
E de fato: A gente sabe quem é quem?
Aonde você estava ontem à noite ou hoje de manhã?
Você olhou, viu e achou bonito o quê?

domingo, 23 de novembro de 2008

DÓ MINGO

Domingo...
Dó... Dom... Domin...
Dormir o dia todo.
Dói em mim.
Dona.
Dono.
Domingueira.
Não telefonei pra quem quis.
Não escrevi o que quis.
Não senti o que quis.
Não li o que quis.
Não vi o que quis.
Não saí pra onde quis.
Mas nem sair eu quis.
Eu só quis... um kiss.
E nem um kiss tive.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

A caixa chegou e os gols também


Ontem me veio a caixa.
Coleção rubi. Bela cor, bela atriz. Belos filmes. Todos.
Os três. Um colorido e dois "pebês".
Bonequinha de luxo, o colorido, é simplesmente bárbaro!
Mas hoje, não vou querer falar de seus filmes nem dela.
Não vamos curtir aqui uma fixação por Audrey Hepburn, please!
Vamos mudar um pouco o enredo e curtir um jogo de futebol.
Pra trocar de assunto, espairecer.
Já já começa o amistoso entre Brasil e Portugal.
Cantando o hino de cada país, dois intérpretes.
Zezé di Camargo do lado de cá, Eugênia de Mello e Castro, do lado de lá.
Dois craques em duelo.
De um lado, Cristiano Ronaldo, de outro Kaká.
E por falar em Kaká, há mais ou menos um mês eu li um livro chamado: "Os trabalhos e os dias, de Hesíodo".
Uma de suas páginas, diz o seguinte:
"Prometeu e Epimeteu são as duas faces do homem : aquele que engana e que é enganado, aquele que é previdente e que é desacertado, o que compreende antes e o que compreende depois..."... A grei dos homens até então vivera longe dos males (kaká) e da áspera fadiga (khaleipóio pónoio) e das dolorosas doenças ( nouson argaléon) , que aos homens dão fim..."Zeus introduz um mal, Pandora dissemina males..."Pandora, repetindo o ato de Zeus no v. 49, assumindo para si o ato de punir, "trama para os homens tristes pesares", abrindo a tampa do jarro e dispersando todos os males que até então inexistiam para os ánthropoi.
Ao se abrir o píthos (jarro) , local onde guarda o alimento (bíos) , o que se procura são as reservas alimentares e jamais os males (kaká). O bíos nutre e restaura energias e faz viver, e os kaká consomem as forças, tiram a vitalidade e matam."

Achei curioso que a palavra kaká represente algo ruim.
Sorte que na nossa língua esta palavra virou coisa boa, sinônimo de jogador craque, bom de bola, dono de uma marca que impõe respeito e confiança.
Taí, entre gregos e troianos, brasileiros e portugueses, as palavras são meras palavras.
E cada um dá o significado que quer, segundo o corpo ou o objeto que é carregado por elas.
Sempre elas.
As pessoas.
As coisas.
E as palavras.

domingo, 16 de novembro de 2008

A arte de posar


Esqueçam Giselles, esqueçam Luízas, esqueçam Naomis.
Loira esquelética, agitada, extrovertida, gaúcha, cosmopolita, ótima manequim, ótima modelo, bonita sim, mas falta-lhe sabe o quê? Um certo glamour.
Morena índia, cor de jambo, mãe de dois filhos lindos, uma já é modelo, o outro, um menino ainda, garota propaganda da Dijon nos velhos tempos, amiga e rival de Xuxa, fotografa muito bem, uma linda mulher, mas também lhe falta o pequeno pó de pirlimpimpim: o glamour.
Mulata belíssima, de corpo escultural, uma pena, é barraqueira, pernas perfeitas, tudo perfeito, desfila e fotografa como ninguém, mas ainda assim lhe falta, pois é, o tal do antigo: glamour.
Podem me chamar do que quiserem, não vou ligar, até porque, também não ligo para o deslumbramento, o repetido glamour está no cinema, nas revistas e nas passarelas.
Só que, ao adquirir uma caixa de DVD's de uma encomenda via Internet, ainda para chegar, coloquei-me em pensamento de joelhos para ela: Audrey.
Divina. Realmente, uma princesa.
Nela o glamour deixa de ser esta palavra tão esnobe e torna-se algo mágico, bonito, agradável, comovente, estupidamente inatingível, um encanto e que só ela teve, mais nenhuma conseguiu alcançar.
Olhe esta foto. Olhe outras. Veja seus filmes. Leia sobre Audrey Hepburn. Veja quem foi. Veja o que fez. Está pra nascer uma como ela.
Mas ainda falta e como falta...
Haja tempo pra esperar.
Enquanto isso, eu espero ansiosamente pelo meu pacote com três clássicos: "Bonequinha de luxo", "Sabrina" e "A princesa e o plebeu".
Não vejo a hora de chegar.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Um novo verbo: Orkutar

Deletar ( delete) , escanear (Scanner) , estopar (stop) , clicar (click) , xerocar (XEROX) e uma série de outras palavras incorporadas no vocabulário popular de nós, brasileiros, estão aí, soltas pelo ar, pela rede, por todos os cantos.
Palavras da moda, da hora, do tempo e que vão se inserindo conforme o contexto, conforme o texto, conforme os conformes.
A nova palavra a ser adotada, segundo o meu louco pensamento é a que se transformará em breve num sinônimo de quem tem como costume: orkutar... ou seja, bisbilhotar a vida alheia, xeretar.
Desculpe para quem estiver lendo agora, preciso sair do computador onde me encontro neste exato momento; portanto, esse registro fica, com a promessa a ser cumprida de, é claro, continuar divagando sobre este assunto: orkutar.
Já já volto.
Continue aqui, orkutando!

... Pois, é...
Passadas algumas horas, cá estou de volta!
E resolvi falar do criador do orkut, o próprio Orkut:
Orkut Buyukkokten.
Nomezinho esquisitinho, hein...
Que nem ele; esse cara estranho, que nasceu na Turquia e foi criado na Alemanha.
O Orkut foi para os Estados Unidos, há aproximadamente dez anos pra fazer doutorado em Ciência da Computação na Universidade de Stanford (Califórnia).
Como todo calouro, e para piorar estrangeiro, sentia dificuldade em conhecer pessoas e fazer amigos. Seu círculo de amizades se limitava a alguns colegas de sala e algumas pessoas que moravam no mesmo alojamento que ele. Ao tentar se aproximar de novas pessoas fora desse pequeno círculo sentia muita rejeição.
Ah, tadinho...
Dificuldade em conhecer novas pessoas fora do círculo de amizades atual.
Em uma grande universidade as pessoas se socializam pouco, passando muitas horas estudando ou usando o computador.
Daí, o Orkut explica como ele teve a idéia para criar um software de relacionamento:
Uma das melhores formas de se fazer novos amigos é através dos amigos dos amigos.
Quando um amigo te apresenta a uma nova pessoa, a chance de rejeição diminui, pois você transfere a confiança que tem no seu amigo para aquela nova pessoa que acabou de conhecer.
Essa rede de amizades é muito forte e pode levar a outros tipos de relacionamentos.
Para potencializar a capacidade das pessoas de formarem novas redes de amizade, aproveitando principalmente o fato de que elas passam muitas horas por dia usando o computador, ele imaginou que seria muito útil ter um software para ajudar as pessoas a se encontrarem online. Nascia a idéia do Social Software, ou software de relacionamento.
Bem, o resto você pesquisa, né?
Não vou cuspir tudo aqui pra você.
Apenas passei uma parte importante que foi a grande sacada deste carinha chamado Orkut.
E não se assuste:
É das pessoas estranhas que surgem as melhores idéias.
Estereotipadas e estigmatizadas pelos outros, são elas é que vão te surpreender.
Vai vendo!
E vá vivendo!
Orkuteie pouco, cuide mais de se ocupar e ocupar a sua mente!
Um abraço forte!
Ah!
E "pode me ler" que eu deixo!

domingo, 9 de novembro de 2008

Sobre apanhar


Apanhar vem do espanhol "apañar" e tem vinte e cinco significados diversos dentro do AURELIÃO:
1. Colher, recolher: Curvou-se para apanhar flores.
2. Tomar, segurar com as mãos: Apanhou o bebê e acariciou-o.
3. Segurar com força, agarrar: O vaqueiro apanhou o novilho, imobilizando-o rapidamente.
4. Levantar do chão: Apanhou, gentilmente, a luva que caíra.
5. Caçar ou pescar com rede, armadilha, etc: O menino lançou a tarrafa, apanhando vários peixes.
6. Prender, capturar, agarrar: A polícia apanhou o ladrão em poucas horas.
7. Tomar, pegar (um veículo): Saiu e apanhou um táxi.
8. Levantar, arregaçar: Apanhou o vestido para banhar os pés; Apanhou as mangas da camisa.
9. Apoderar-se, assenhorar-se de.
10. Roubar, furtar: Apanhou tudo o que pôde, no exercício do cargo.
11. Contrair, pegar (doença): Apanhar gripe.
12. Ser atingido por (chuva, vento, sol, etc.); tomar, pegar: Saiu sem agasalho e apanhou chuva.
13. Receber, sofrer, tomar, levar: Apanharás muitas lambadas pelas travessuras.
14. Obter, conseguir: Apanhou bom dinheiro com a venda.
15. Atingir, alcançar: Correu muito, mas, apanhou o fujão.
16. Utilizar, aproveitar: Apanhou a idéia e desenvolveu-a.
17. Entender, compreender, apreender, perceber: Apanhou rapidamente o sentido de minhas palavras.
18. Adquirir, pegar: Mudou-se para São Paulo e apanhou logo o sotaque da terra.
19. Alcançar (9)
20. Encontrar, surpreender, pegar: Sempre que apanhava o adversário desprevenido, aplicava-lhe um soco.
21. Fazer colheita; colher.
22. Levar pancada; ser espancado.
23. Perder em luta, guerra, jogo, competição desportiva, etc: Os italianos apanharam na Segunda Guerra Mundial; Meu time apanhou hoje.
24. Demorar ou encontrar grande dificuldade em fazer, resolver, compreender, aprender alguma coisa: Vai apanhar muito até resolver a equação.
25. Achar-se, ver-se, encontrar-se: Apanhando-se no poder, esqueceu os velhos amigos.

Nelson Rodrigues se referia a qual dos "apanhares" quando falou e escreveu: Toda mulher gosta de apanhar... ?!!
Sábio Nelson!
Burros somos nós, que interpretamos tudo ao pé da letra.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Desejo, necessidade, vontade


Estou querendo lançar outro livro.
Em setembro deste ano, participei de uma coletânea de contos e crônicas juntamente com outros autores roteiristas.
Todos recém-formados, recém-prestigiados, recém-extasiados, recentes neste novo mercado, que já começa a abrir portas.
Agora a idéia é lançar um livro solo ou em dupla, eu e meu amor, meu amor e eu.
Começo a pesquisar novas editoras, pois a experiência com a anterior deixou a desejar.
Não pelo fato da editora ser "xis" em questão, e sim pela falta de tato de quem organizou, fechou contrato, etc e tal.
Às vezes, para se lançar, não podemos contar muito com a ajuda e parceria alheia.
Na maioria das ocasiões, o empurrão e o saculejo vêm da gente mesmo.
As regras e as leis, é melhor fazê-las por nós mesmos.
Isso evita confusão, transtornos, desunião, uma série de tormentos.
O lance antigo do: "cada macaco no seu galho" e do atualíssimo: "cada um no seu quadrado" nos mostra que ninguém deve interferir no que é nosso.
"O que é nosso está guardado", é certo.
Quando desejamos muito uma coisa, cedo ou tarde ela acontece.
Você só tem que saber o que você quer.
O resto flui.
O vento só é favorável aos que sabem que direção estão tomando.
Eu sei disso, já pratiquei wind surfe e várias vezes me dei mal, por apenas deixar o vento me levar, sem saber pra que direção eu seguia.
Recomendo que você pense: O que você quer da sua vida?
Para onde quer que o vento te leve?
E você sabe como dominar o vento?
Se disse sim, não, você não sabe.
Porque o vento não se deixa dominar, não se deixa bater de frente.
Você tem que dançar com ele, ziguezaguear, senão ele te derruba.
Assim como temos que dançar, dar a vez, trocar idéias com os outros, podemos também moldar e adequar os nossos desejos, para que quando vierem, não nos derrubem de surpresa ou de imediato.
É de pé que nos transformamos.
Nunca sentados ou deitados.
Veja o foguete como sobe.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Agora é com você


É, Barack, você venceu.
Já sabíamos, não foi grande surpresa.
Daqui pra frente é esperar pra ver se vão deixar o senhor governar.
O senhor e a senhora Michelle que se cuidem; o país de vocês é uma fantasia, pura Disney World.
Maquiagens pesadas, quando estive aí eu vi.
Não só pelo rosto das moças, como também pela economia, pela democracia, pela segurança, pela liberdade, pelas ofertas de emprego... ops, sub-emprego... e por aí vai.
Mas então: Quem é o vice mesmo?
Vamos prestar atenção no vice, pois escondido, camuflado, na clandestinidade, talvez seja ele o super nome, o super poder, o dono do mundo, na sagacidade de estar fora do foco da midia.
Dona Michelle, aproveite e use todos os modelitos que tem direito.
Notícia boa é que já estão comparando a senhora com a eterna primeira dama: Jackie Onassis.
Só na pompa e elegância.
Outra boa notícia é que tem filme novo chegando em 2009 e para sua homenagem, dona Michelle, ela é uma princesinha negra que vive em Nova Orleans...
A princesa e o sapo.
Ver aqui: http://www.disneyanimation.com/projects/princessfrog/index.html
Vai ajudar a quem tem preconceito tirar isso da cabeça de vez.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Seguros


Está assim de gente precisando de um seguro.
Seguro para idiotice, seguro para mau caratismo, seguro para dor-de-cotovelo, seguro para dor de corno, para dor de ser um cara mal ou uma mulher má "comida" , seguro para mania de perseguição, ei !!!! Não é com você não! Vê se me erra, vai! Me esquece também.
Só gosto de quem gosta de mim, só agrado quem me agrada, e para quem não me admira, pode ter certeza, a recíproca é verdadeira.
Tolos, tolas e tcholas, por que não vão se "beliscar", mutuamente...
Querem uma mãozinha? Não, não dou a minha, não.
Minha mão não se suja por causa de mediocridade.
Minhas causas são outras.
Busco pessoas verdadeiras.
E quer saber?
Eu as encontro.
Sabe por que eu amo a Dona Beija, a dona de Araxá, a bela vivida na ficção pela mais bela atriz brasileira, Maitê, Maitê Proença, mas, sabe por quê?
Porque o lema desta dona era o seguinte, escrevi num pedaço de papel e guardei na minha gaveta quando assisti a um determinado capítulo da novela da finada emissora de TV Rede Manchete:
Ela dizia pro espelho:
"Viver bem é a melhor vingança".
Achei bonito. Concordei.
Passou a ser meu lema de vida também.
Estar sempre perto de pessoas boas e procurar viver bem.
E eu vivo muito bem.
Longe dos vermes e das pragas.
Distante dos seres rastejantes que volta e meia nos olham, nos secam e tentam nos abocanhar.
Mas já estou vacinada faz tempo!
Gosto de estar perto de coisas boas, gente boa, almas boas.
Elas existem.
E é para acreditar nisso, pois como diz a canção de um titã:
O mundo é "bão", Sebastião.
Assegure-se disso!
E: Cuidado pra não cair da bicicleta, cuidado pra não esquecer o guarda-chuva!!!
Salve Jorge!!!!!
Salve Jorge!!!!!
Salve Jorge!!!!!

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Dia do cinema nacional


Hoje foi dia de cinema.
Cinemark Downtown desde cedo.
Onze e pouco da manhã já estava eu assistindo o filme de meu diretor brasileiro preferido, Fernando Meirelles, com seu "Ensaio sobre a cegueira".
Fiz como se fosse o Festival do Rio ou o Anima Mundi, anotei num papelzinho um OK de visto e a nota para cada filme que viria na sequência.
O "Ensaio sobre a cegueira" ganhou um sete e meio.
Fiquei frustrada por não saber por que a personagem vivida pela atriz Julianne Moore foi a única a não se contaminar pela cegueira coletiva. Se uma viva alma estiver lendo, por favor, me explique.
Muito obrigada, desde já, sim?!!!
Parei para o almoço e logo em seguida, por volta das duas e meia, lá fui eu e o meu amo, claro, sempre bem acompanhada, ver o filme do Waltinho Salles e da Daniela Thomas, "Linha de passe". Gostei, pero non mucho. A parte final do: "Anda, anda, anda" foi a mais marcante pra mim. De resto, serviu sem desmerecer o filme, que também é muito bom, mas me serviu mesmo para ficar cada dia mais atenta aos motoboys, que assaltam carros em sinais de trânsito quebrando num piscar de olhos o vidro do carona e rapidamente se apoderando de nossas preciosas bolsinhas, ainda bem que a minha não tem nada de valor, ufa! Bem, às vezes eu carrego a máquina fotográfica; mas deixa pra lá, esquece...
Terminada a sessão, eu e meu amor fizemos uma pausa para um café.
"Linha de passe" levou nota oito.
Em seguida, fomos direto ao "Estômago". E que filme bom! Inteligente, divertido, nojento, delicioso, feio, bonito, perfeito, maravilhoso... Fazia tempo que não via um filme nacional tão bom! Eu dei dez pra ele!
Gostaria que este fosse o eleito para representar o Brasil nos festivais mundo afora, ou que fosse indicado para a categoria do Oscar de melhor filme estrangeiro.
Se bem que ele já ganhou vários e vários prêmios no ano de dois mil e sete. Foi o o grande vencedor do Festival do Rio ano passado, é fato.
E é sério, palmas para este novo diretor brasileiro: Marcos Jorge.
Faça mais filmes, por favor, Marcos.
Mais um marco aí, porque você entende bem desse negócio chamado cinema.
Cinema de verdade.
Que nos move.
Não estou comovida, estou movida!
Movimentada mesmo!
Gostei, gostei, gostei!

sábado, 1 de novembro de 2008

Belíssima




Ela fala italiano, fala francês, fala inglês...
Sexy, provocante, inteligente
Elegante, sorridente
Feliz, brava e bela
Cantante, cantora, modelo, modela
Jovem aos quarenta
Perfeita, uma estátua viva
Sedutora, rouca, louca
Casada com Sarkozy, fotografada
Celebridade
Ela e o presidente
Belo casal
Uma bela história
Cara, que mulher perfeita é essa?
Ainda toca o seu violãozinho
Se eu pudesse ser outra
Uma nova mulher
Queria ser ela




quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Insulto ser chamado de homem de Neanderthal?

Você acha?
Pois não é não!
Think that being called a Neanderthal is an insult?
Neanderthal man, the first human being in the true sense, had a brain capacity 100 cubic centimeters larger than modern man’s (or woman’s).

Viu só?
Bárbaros, Vikings, "Neanderthais", Caçadores, Navegantes, Comerciantes, vocês sempre foram e sempre serão necessários!

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

CASAIS


Tem homem que bate em mulher.
Tem mulher que trai homem.
Tem homem superficial.
Tem mulher legal.
Tem homem inteligente.
Tem mulher burra.
Tem homem que não liga pra aparência.
Tem mulher que se come diante do espelho.
Tem homem que se apaixona.
Tem mulher que não ama.
Tem homem que faz fofoca.
Tem mulher discreta.
Tem homem que faz gentileza.
Tem mulher que não tem educação.
Tem homem que gosta de bichos.
Tem mulher que não se apega.
Tem homem ruim.
Tem mulher boa.
Casais se fazem jogando dados.
Casais se encontram jogando cartas.
Casais se conhecem em dias quentes.
Casais se separam em noites frias.
Casais se juntam na primavera.
Casais se esbarram a todo instante.
Casais homo, casais hetero.
Casais rendem enquanto está bom.
Casais murcham quando rola estresse.
Casais ficam fortes quando há confiança.
Casais se destroem quando o ciúme vem.
Casais se equilibram quando têm base.
Casais sem uma meta em comum desmoronam.
Casais se formam quando o universo conspira a favor deles.
E o universo se encarrega de levá-los de lá pra cá, daqui pra ali, quando bem entende.
Dentro de sua ordem ou de seus caos.
O universo expande.
Casais.
Pardais.
E um cais.

domingo, 26 de outubro de 2008

PLANE







O máximo voar.
Voar de avião... E se hospedar.
Se hospedar dentro de um avião. Em Estocolmo, na Suécia, agora isso pode!
Um empresário de lá, muito do astuto, percebeu que poderia tirar vantagem de um Boing, que viraria lata velha, peça de museu, uma carcaça gigante. E lá mesmo, ao lado do aeroporto, está montando um hotel, uma pousada para estrangeiros ou mesmo suecos curiosos. Como será se hospedar num avião? Nas asas farão um terraço, com mesinhas e cadeiras para se tomar drinks, beliscar petiscos, tudo com vista para novos vôos, de aviões que voam, porque este estará no chão, bem no chão. Você se hospedaria nele? Eu sim. Você não? Curiosidade é comigo mesma. Preço da passagem do Brasil à Suécia é que não...

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Manter distância, vale quanto?



As aparências enganam. Talvez, esta figura aí de cima, com essa cara de louca, te assuste num primeiro ato. Mas você vai conhecê-la. E aos poucos saber quem ela é. Pode parecer assustadora, excêntrica, pouco confiável, estranha, esquisita e você logo vai ver que não. Era só um engano. Num outro momento, vai conhecer uma pessoa linda. Vai confiar naquela verdade, que era a beleza, a inteligência, o mistério, o desembaraço. Depois vai ver, era tudo mentira, ilusão. Falta de preparo sua, lidar com os semelhantes. Com os outros. Com os nossos. Com os vossos. Só o tempo, curto ou longo, lhe dirá com quem estamos lidando. Até lá você já caiu na armadilha, não tenha dúvidas. A sua intuição falha de vez em quando. Normal. Mas não se dê por vencido. Da próxima vez, mantenha uma certa distância. Não abra tanto a guarda para estranhos. Sábios são aqueles que não se revelam à primeira vista, à primeira aproximação. São sábios porque analisam, esperam, estudam, mapeam todo o ambiente antes de entrar no território desconhecido. Pobres dos que se precipitam. Neste território novo, basta um passo errado e já era, será absorvido. Cabe querer: Absorver ou se lançar, se jogar e deixar ser?

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Galinhas, cachorras, gatas ou patas?


"Quando a mesa está pronta e com uma galinha, a mim não importa se ela me ama."
Pensamentos da maioria dos machos da espécie humana.
Mas por que pensam assim? Agindo como animais, sedentos, esfomeados, árduos e vorazes, eles demostram que querem que sejamos como eles, animais também.
Só nos resta entrar no jogo deles. Ou não.
Tarefa para nós, mulheres ditas normais, que adoramos o sexo oposto: Nos comportarmos a partir de hoje como as gatas ou as cachorras, ou as coelhas, as vacas, as galinhas, as lobas, as lontras, as ursas, as patas, as rãs, as ovelhas, as baleias, etc etc etc.
Acho que os machos delas não as julgam, pois não existe preconceito e muito menos o conceito.
Eles apenas fazem, não pensam no amanhã, no futuro, na vida, na morte e muito menos na relação. Nem na decepção.
Não comentam com os outros, porque os outros também agirão, comerão, saborearão, de acordo com seus instintos.
O que atrapalha mesmo é a fala, a interpretação.
Se fôssemos surdos, mudos ou cegos, talvez entendêssemos melhor o quanto atrapalha o olho do outro, o ouvido do outro, a fala do outro.
Passemos então, a nos escutar mais, a nos perceber mais.
E vamos deixar que os que nos rodeiam falem sozinhos.
Se sentirmos falta de companhia, que tenhamos a de um bichano.
Um gatinho, uma gatinha, se der pra ter um patinho, uma tartaruguinha, o que for, que seja do seu jeito, da sua preferência.
Pense a respeito e com muito respeito!
Seu corpo e sua mente vão agradecer.
Não se preocupe com os outros.
Quem importa mais neste momento é você.

domingo, 5 de outubro de 2008

Moça com brinco de pérola


Por conta do meu aniversário, gastei bastante comigo mesma.
Tudo para o corpo, nada para a mente.
Mas hoje, ao percorrer um shopping atrás de trocas e novos gastos, encontrei minha próxima aquisição.
Um livro... "dejavu" ... coincidiu com meus pensamentos matutinos sobre um filme, sobre um pintor holandês e sua obra.
Johannes Vermeer.
Pouco se sabe da sua vida. Sabe-se apenas que vivia com magros rendimentos como comerciante de arte, não pela venda dos seus quadros. Por vezes até foi obrigado a pagar com quadros suas dívidas contraídas nas lojas de comida locais. Morreu muito pobre em 1675. A sua viúva teve de vender todos os quadros que ainda estavam em sua posse ao Conselho Municipal em troca de uma pequena pensão (uma fonte diz que foi só um quadro: a última obra de Vermeer, intitulada Clio).
Depois da sua morte, Vermeer foi esquecido. Por vezes, os seus quadros foram vendidos com a assinatura de outro pintor para lhe aumentar o valor.
No princípio do século XX havia muitos rumores de que ainda existiriam quadros de Vermeer por descobrir.
Conhecem-se hoje muito poucos quadros de Vermeer. Só sobrevivem 35 a 40 trabalhos atribuídos ao pintor holandês. Há opiniões contraditórias quanto à autenticidade de alguns quadros.

Os seus quadros são admirados pelas suas cores transparentes, composições inteligentes e brilhante uso da luz.
Atravessando corredores extensos, me deparei com a nova onda, nova loja, novo ponto de parada: a Livraria da Travessa.
Lá encontrei diversos livros que me prenderam, mas em um especialmente me fixei.
O livro se chama : Eu Fui Vermeer, e conta a história de Van Meegeren, um pintor de segunda, paranóico e viciado em drogas, cujas falsificações de Vermeer fizeram dele uma estrela secreta do mundo das artes.
Em Eu fui Vermeer, Frank Wynne narra a história do holandês Han van Meegeren, um dos maiores falsários de todos os tempos, especialista em criar quadros que reproduziam em detalhes o estilo e a técnica do pintor Johannes Vermeer.
Vivendo no turbilhão da Segunda Guerra Mundial e da revolução da Arte Moderna, Van Meegeren faturou mais de 50 milhões de dólares com seus quadros falsos, vendidos aos maiores museus da Europa e amplamente aclamados pela mídia. Mais que isso, teve a satisfação de fornecer quadros falsos aos nazistas, arrancando uma verdadeira fortuna do Terceiro Reich.
Seus quadros eram tão próximos dos autênticos que certamente figurariam hoje no catálogo de Vermeer, caso o falsário não tivesse confessado. E Van Meegeren teria permanecido em silêncio não fosse uma trágica ironia do destino: tamanho foi seu enriquecimento durante a guerra que, logo após o fim do conflito, ele acabou preso como colaborador dos nazistas. A única defesa possível era admitir que todos aqueles quadros, de fato, eram de sua autoria, confissão em que o público se recusou a acreditar. O único recurso da corte foi exigir que Van Meegeren, então, pintasse seu último Vermeer diante de um júri.
Eu fui Vermeer, narrado em ritmo que nada deixa a dever aos grandes thrillers, captura não só a vida desse artista, embora não reconhecido, mas também todo o ambiente e o trabalho dos especialistas que identificam quadros falsos e perseguem seus criadores.
É a partir desse panorama que o autor põe em questão o próprio significado da arte.
Eu adoro este tipo de assunto.
Para mim não há maior mistério do que discernir o falso do verdadeiro, o certo do errado, a cópia do original.
Isso vale para obras de arte, jóias, pessoas...
Quero muito ler o livro e ver o filme: Moça com brinco de pérola.
Indicado nas categorias de Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia e Melhor Figurino para o Oscar de 2004, e indicado ao Globo de Ouro na categoria de Melhor Trilha Sonora Original e Melhor Atuação de Atriz de Cinema - Drama (Scarlett Johansson), o filme conta a história de uma jovem camponesa que mora na Holanda dos anos 1660, cujo pai é um ex-pintor de cerâmica que agora está cego e, por causa das dificuldades financeiras da família, ela tem que trabalhar como criada na casa do pintor Johannes Vermeer.
O roteiro é uma adaptação do romance de mesmo nome de Tracy Chevalier.
Acho que vale a pena ler um e ver o outro.
E nem custa caro, comparado às bolsas e a outros cacarecos estilosos que eu já me presenteei...



domingo, 21 de setembro de 2008


"Todos os animais, com exceção do homem, sabem que o principal objetivo da vida é usufruí-la". (S. Butler)

Olho para este desenho e penso: Futuros líderes, como serão? Que formas terão? Serão como nós? Ou terão penas? Bicos? Nascerão de ovos como os pássaros? Falarão que língua? Enxergarão melhor à noite? Terão que aspecto? Respeitarão a natureza? O que comerão? Será que nós? Oh, que horror... Nós não! Como nos salvaremos? E como eles se salvarão? Futuro. Mistério. Perguntas. Eis a questão.



segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Os maias


Para termos uma vasta idéia, sim, vasta, a civilização maia foi uma cultura mesoamericana pré-colombiana, com uma rica história de 3000 anos. Contrariando a crença popular, o povo maia nunca "desapareceu", pois milhões ainda vivem na mesma região e muitos deles ainda falam alguns dialetos da língua original. Os maias construíram famosas cidades e muitos outros centros habitacionais, mas jamais chegaram a desenvolver um império, embora algumas cidades-estado independentes tenham formado ligas temporárias, associações e mesmo rápidos períodos de soberania. Os monumentos mais notáveis são as pirâmides que construíram em seus centros religiosos, junto aos palácios de seus governantes. Outros restos arqueológicos muito importantes são as chamadas estelas (os maias as chamam de tetún, ou "três pedras"), monolitos de proporções consideráveis que descrevem os governantes da época, sua genealogia, seus feitos de guerra e outros grandes eventos, gravados em caracteres hieroglíficos. Muitos consideram a arte maia da era clássica (200 a 900 d.C.) como a mais sofisticada e bela do Novo Mundo antigo. Com as decifrações da escrita maia se descobriu que essa civilização foi uma das poucas nas quais os artistas escreviam seu nome em seus trabalhos. Os maias foram excepcionais astrônomos e mapearam as fases e cursos de diversos corpos celestes, especialmente da Lua e de Vênus. Muitos de seus templos tinham janelas e miras demarcatórias para acompanhar e medir o progresso das rotas dos objetos observados. Templos arredondados são talvez os mais descritos como observatórios pelos guias turísticos de ruínas, mas não há evidências que o seu uso tinha exclusivamente esta finalidade. Em vários templos sobre pirâmides foram encontradas marcações de miras que indicam que observações astronômicas também foram feitas dali. O sistema de escrita maia era uma combinação de símbolos fonéticos e ideogramas. É o único sistema de escrita do Novo Mundo pré-colombiano que podia representar completamente o idioma falado no mesmo grau de eficiência que o idioma escrito no Velho Mundo. Lamentavelmente, os sacerdotes espanhóis, em sua luta pela conversão religiosa, ordenaram a queima de todos os códices maias logo após a conquista.
Um arqueólogo disse: “Nosso conhecimento do pensamento maia antigo representa só uma minúscula fração do panorama completo, pois, dos milhares de livros nos quais toda a extensão dos seus rituais e conhecimentos foram registrados, só quatro sobreviveram até os tempos modernos (como se toda a posteridade soubesse de nós, baseados apenas em três livros de orações e "El Progreso del Peregrino).”
Os maias desenvolveram independentemente o conceito de zero e usavam um sistema de numeração de base 20. As inscrições nos mostram, em certas ocasiões, que trabalhavam com somas de até centena de milhões. Produziram observações astronômicas extremamente precisas; seus diagramas dos movimentos da Lua e dos planetas se não são iguais, são superiores aos de qualquer outra civilização que tenha trabalhado sem instrumentos óticos. Ao encontro desta civilização com os conquistadores espanhóis, o sistema de calendários dos maias já era estável e preciso, notavelmente superior ao calendário gregoriano, muitas vezes reformado depois disto. A maioria da população rural contemporânea da Guatemala e Belize é maia por descendência e idioma primário; em áreas rurais do México ainda existe uma cultura maia.
Que ironia... Todo o conhecimento perdido sobrou nas mãos de pessoas simples do campo.

O novo Big Bang e o calendário maia


Em 10 de setembro de 2008 entrou em funcionamento a maior experiência da história da física para nós, seres humanos, entendermos a origem do universo.
Mas será que todos nós realmente queremos algum tipo de explicação?
Não basta existirmos, aceitarmos isso e só?
Para alguns, não.
E por isso, o maior acelerador de partículas do mundo, o LHC (Large Hadron Collider, em português: Grande Colisor de Hádrons) entrou em funcionamento, localizado entre as fronteiras da França e da Suíça.
Coitados desses povos... Nessas horas eu não queria ser francesa...
A forma do grande colisor é circular, com um perímetro de 27 km. Sua construção e entrada em funcionamento foi alvo de um filme sobre um possível fim do mundo e tem gerado uma enorme polêmica na Europa.
O LHC possui um túnel a 100 metros debaixo da terra onde os prótons serão acelerados no anel de colisão que tem cerca de 8,6 km de diâmetro.
Amplificadores serão usados para fornecer ondas de rádio que são projetadas dentro de estruturas repercussivas conhecidas como cavidades de frequência de rádio.
Mais de mil ímãs bipolares supercondutores de 35 toneladas e quinze metros de comprimento agirão sobre as transferências de energias dentro do LHC.
Um dos principais objetivos é tentar explicar a origem da massa e encontrar outras dimensões do espaço. Procura-se também a existência da super simetria. Experiências que investigam a massa e a fraqueza da gravidade por meio do LHC devem permitir descobrir várias partículas dotadas de todas as cargas de energia e exercendo as mesmas interações que as partículas do modelo padrão conhecidas.
Cientistas acreditam que este equipamento pode provocar uma catástrofe de dimensões cósmicas, como um buraco negro que acabaria por destruir a Terra.
Que medo...
Para tanto, corre um processo tentando impedir a experiência, até que haja uma total comprovação de que não haja riscos. Há acusações de não terem sido realizados estudos de impacto ambiental necessários.
No entanto, apesar das alegações de uma suposta criação de um buraco negro, o que de fato poderia ocorrer, seria uma reação em cadeia gerando matéria estranha. Possuindo a característica de converter a matéria ordinária em matéria estranha, logo geraria uma reação em cadeia na qual todo o planeta seria transformado em uma espécie de matéria estranha.
Isso dá mais medo ainda!
Mas, apesar das alegações "catastróficas", físicos teóricos afirmam que tais teorias são meramente absurdas, e que as experiências foram meticulosamente estudadas e revisadas, estando sob controle. Entretanto, se um buraco negro fosse produzido dentro do LHC, ele teria um tamanho milhões de vezes menor que um grão de areia, e não viveria mais de 10-27 segundos, pois por ser um buraco negro, emitiria radiação e deixaria de existir.
Mas, supondo que mesmo assim ele continuasse estável, continuaria sendo inofensivo. Esse buraco negro teria sido criado à velocidade da luz (300 mil km por segundo) e continuaria a passear neste ritmo se não desaparecesse.
Em menos de 1 segundo ele atravessaria as paredes do LHC e se afastaria em direção ao espaço. A única maneira de ele permanecer na Terra é se sua velocidade for diminuída a 15 km por segundo. E, supondo que isto ocorresse, ele iria para o centro da Terra, devido à gravidade, mas continuaria não sendo ameaçador.
Para representar perigo, seria preciso que ele adquirisse massa, mas com o tamanho de um próton, ele passaria pela Terra sem colidir com outra partícula (não parece, mas o mundo ultramicroscópico é quase todo formado por vazio), e ele só encontraria um próton para somar à sua massa a cada 30 minutos a 200 horas. Para chegar a ter 1 miligrama, seria preciso mais tempo do que a idade atual do universo.
21 de dezembro - Final do calendário Maia com o ciclo de 5.125 anos e da freqüência 11:11.
Curiosidades : 2012 é o ultimo ano do calendário Maia.
Se tem a ver, não sei, mas é no mínimo esquisito um teste para se testar partículas de Deus começar a ser realizado em 2008 e, havendo erros humanos, nosso prazo aqui na Terra se esgotaria em 2012. Só sobrariam quatro anos para mais algum proveito?
Prefiro não comentar. E nem pensar. Melhor fazermos isso mesmo.
Ir vivendo e, na hora H, quando a bomba estourar, nos safar da maneira que pudermos.