terça-feira, 9 de setembro de 2008

A falta que você me faz

É, você me faz falta.
Já não tenho sono.
Perco noites e mais noites à meia-luz manuseando um laptop novinho em folha.
Sei que tenho que dormir, mas não durmo.
Falta vontade de olhar pra cama, deitar.
Fico navegando por sites loucos, procurando o nada e o coisa nenhuma.
Até acho.
Perco tempo.
Amanhã levanto cedo, mas aguento.
Pensar em você é o meu tormento.
As horas vão passando no relógio.
Passa de uma da manhã.
Nem ligo.
Só queria respostas, mas sei que elas não existem.
Perguntas e dúvidas não saem.
Passam trens-bala, maremotos, redemoinhos, turbilhões na cabeça.
Tem gente precoce que escolhe cedo o que quer da vida.
E tudo dá certo.
Assim a gente vê, assim aparenta ser.
De repente e acho que sim, não é nada do que possa parecer.
Também erram, mas não enxergam, porque escolheram cedo demais.
E pensando bem, de que adianta escolher tarde se nós no fundo, nos preparamos sempre para sofrer...
As inevitáveis consequências.
Escolheu, foi, aconteceu.
A responsabilidade é toda nossa.
E nessa história quem se safa?
Você?
Eu?
Quem mais falta?



Um comentário:

Alexandre Botelho disse...

Eu te amo tb, minha escolhida!