sexta-feira, 14 de março de 2008

A história de Safo

Safo foi uma poetiza que floresceu em um período primitivo da literatura grega.
De seu trabalho restam-se poucos fragmentos.
Que pena...
Mesmo assim, pode-se afirmar que ela era dotada de um grande gênio poético.
A história que pouco conhecemos a respeito dela é a de que se apaixonou por um belo rapaz chamado Faon.
Podia ser Falcon ou o Bob, não?!!
Não. Ela não era nenhuma Susie nem Barbie doll.
E como não foi correspondida, (tadinha ... ) Sifu, ops, Safo, atirou-se no mar influenciada pela superstição de que aqueles que dessem o "Salto do Amante", se não morressem na queda, ficariam curados de seu amor.

Obviamente, Safo sifu, não?

E para ela, uma suave letra fizeram:

"Sombria Safo,
Não poderiam os versos imortais,
Salvar-te da chama
De um amor tão forte?"


Queria eu saber por que hoje é difundida, (leia-se : di-fun-di-da ... ) a expressão:

"Se safou."
Mas como alguém se safa, já que Safo não?

E a expressão:

"Fulana é a maior safada."
Dá pra entender? A Safo não era só uma apaixonada?

Safo foi curada e premiada por sua coragem?

De épocas em épocas, as coisas mudam, mas as mulheres quando fortes, se curam.
A paixão é como o verão, ou como mosquito da dengue, está por aí, solto no ar, e a qualquer hora, cedo ou tarde, mais uma vez ou de uma maneira inédita, pode te acalorar, ou te pegar.

Um comentário:

Alexandre disse...

O amor me pegou
E eu não descanso enquanto não pegar...

Saio na noite à procura
O batidão do meu coração na pista escura...

Será que ela quererá, será que ela quer
Será que meu sonho influi
Será que meu plano é bom
Será que é no tom...

Será que ela evolui
E se ela evoluir, será que isso me inclui

Tenho que pegar, tenho que pegar
Tenho que pegar

(gatas extraordinárias - Caetano)